5 locais a não perder em Veneza

1. Ponte di Rialto

A primeira versão desta ponte surgiu no séc. XII e durante muitos anos manteve-se a única ligação entre as duas margens do Grand Canal. O seu formato actual, em pedra, surgiu no final do séc. XVI, conta com alguns bazares comerciais ao longo do seu tabuleiro (hoje na sua grande parte, dedicados ao turismo) e proporciona vistas magníficas sobre o principal canal de Veneza.

2. Basilica di San Marco

A imponente Basilica di San Marco, erguida na sua magnífica arquitectura com influências bizantinas, possui um interior abismal decorado quase na totalidade com fantásticos mosaicos banhados a ouro, reflexo da prosperidade da Sereníssima República de Veneza (que, na verdade, era tudo menos pacífica).  A entrada é barrada a quem se apresentar em trajes considerados menores, joelhos e ombros à vista por exemplo, e a portadores de mochilas ou malas, que poderão ser depositadas num local específico.

3. Palazzo Ducale

Um edifício que conta com uma fachada estonteante em gótico veneziano e com um interior de cortar a respiração. Vale bem a pena pagar o bilhete de entrada que tem o custo de 16€, mas que no entanto fica a 8€ para estudantes até 25 anos e inclui ainda a entrada nos restantes museus da Piazza San Marco que também merecem ser visitados. Para além disso, esta é a única forma de atravessarmos a famosa Ponte dos Suspiros que liga o palácio a uma das prisões mais antigas do mundo.

4. Torre Dell’Orologio

Ainda na Piazza San Marco, num dos cantos, é também possível visitar a intrigante torre Dell’Orologio que apesar de aparentar ser um convencional relógio analógico, apresenta as horas no formato de 24 horas. Penso que se trata também de um relógio astronómico, pois demonstra as várias fases da lua e relaciona a posição do sol face aos diversos signos do Zodíaco que se apresentam destacados a dourado num vibrante azul.

5. Misticismo

Caminhar por entre as minúsculas ruas que se cruzam com os famosos canais, explorar e absorver todo o seu místico ambiente e descobrir o mistério desta cidade é simplesmente uma das mais grandiosas experiências de um viajante. A cada esquina, desvenda-se um deslumbrante mundo de cor que faz com que não seja preciso uma boa câmara ou grandes dotes de fotografia para se conseguirem disparos como o que se apresenta abaixo.

Publicado por Nuno Lopes

Apaixonado pelo mundo e dromomaníaco assumido, o Nuno é o fundador do Instruções para Viajar. Considera que a melhor parte da viagem é a aventura, é perder-se em caminhos complicados, são as estratégias de última hora para contornar voos cancelados e a arte de conversar por meio de mímica ou sotaques improvisados. Adora o misticismo da cultura árabe, o ambiente dos países exóticos, a comida italiana e o sol da Grécia. Os seus destinos de sonho passam pela Índia, Indonésia e Ilhas Maurícias. Quando não está a planear a próxima viagem, é técnico de radiologia no grupo Trofa Saúde Hospital onde a paixão por fotografar o corpo humano se transpõe para as paisagens, monumentos e para as selfies nas suas aventuras pelo globo. - nuno@instrucoesparaviajar.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.