Como perder o medo de voar

Muitas pessoas têm alguma ansiedade em andar de avião. Incompreensível para alguns, assunto tabu para outros? Não interessa!! Porque a ansiedade de voar nunca deveria impedir ninguém de viajar, conhecer novos lugares ou culturas, ou até mesmo de fugir um bocadinho da rotina, vou deixar aqui algumas sugestões de como ultrapassar o medo e/ou ansiedade de voar.

Primeiro de tudo, lembra-te que o medo ou a ansiedade de voar é mais comum do que pensamos e pode ir desde uma ligeira sensação estranha na barriga até à verdadeira fobia. A melhor sugestão é, claro, fica calmo. Parece muito generalista mas o pânico nunca ajudou em nada, e só atrapalha. Resolvi partilhar isto convosco depois de compilar muitas das sugestões já descritas na internet e espero que vos ajude.

Vamos por partes?
Na véspera

A maioria das pessoas pensa que o dia de mais ansiedade é o do próprio voo mas, para muitas delas, o dia anterior é cheio de pensamentos negativos e de sofrimento por antecipação! Por isso, é muito importante que nas 48h anteriores ao voo sigas algumas sugestões para que seja tudo “Smooth as Silk”:

  • Diminui o consumo de café. Esta bebida tem propriedades que nos deixam mais agitados, como por exemplo a cafeína;
  • Tenta não consumir bebidas alcoólicas nem ácidas, como o sumo de laranja, e bebe muita água. É sempre importante mantermos-nos hidratados;
  • Vamos fazer as coisa menos à português e não deixar tudo para a última da hora? É muito importante arrumar e preparar tudo com antecedência para que o medo de nos esquecermos de alguma coisa não piore a ansiedade;
  • Já o ditado diz: “Dormir cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer!“. Deita-te cedo na noite anterior para conseguires ter uma boa noite de sono e acordar mais calmo;
  • O medo de viajar existe, principalmente, porque damos importância a pensamentos irracionais. Não é preciso saber tudo sobre voar de avião mas, antes de viajar, podes fazer uma pequena pesquisa sobre estatísticas e dados sobre como esta é a forma mais segura de viajar e até de como este aparelho funciona;
  • Por fim, imagina o dia da viagem, a correr tudo bem. Ou seja, se começares a imaginar que algo vai correr mal, contraria esse pensamento. Prometo que o avião não cai!
Dia do voo 

Eu adoro voar, viajar e conhecer lugares novos. Mas admito que há sempre aquele nervoso miudinho que teima em aparecer umas horas antes do voo! “Será que chego a tempo ao aeroporto?” “Será que me esqueci de alguma coisa?“, “E se estiver trânsito?” “O que vai acontecer no controlo de segurança?” O que é que eu penso para mim? CAL-MA! Daqui a umas horas vais estar numa praia paradisíaca, a beber uns mojitos ou numa grande cidade a fazer compras. Já chegam os dias de trabalho para stressar! Certo? De acordo?

Algumas sugestões para as horas antes de ir para o aeroporto? Aqui vai:

  • Quem não gosta de carregar no snooze todas as manhãs e pensar “Só mais 5 minutos“? ✋Tss tss. Deixa-te de coisas. Levanta-te assim que o despertador tocar e vais ver que vais ter tempo para tudo, menos para te preocupares com o voo;
  • Toma um duche longo e relaxado (mas cuidado com o gasto da água);
  • Neste dia queremos um pequeno-almoço ligeiro;
  • Sai de casa com tempo para fazer uma viagem calma até ao aeroporto e leva os documentos já separados para não te atrapalhares;
  • Escolhe roupas leves e confortáveis que não dificultem a circulação de sangue. No avião passamos a maior parte do tempo sentados, por isso, “confortável” é a palavra de ordem;
  • Se houver possibilidade para isso, faz o check-in online uns dias antes da viagem. Assim é menos uma fila em que tens que esperar.
Depois do check-in e antes de entrar para o avião 

É aconselhável chegar ao aeroporto com alguma antecedência, entre 2 a 3 horas antes do voo. Por isso, depois de passar pelo controlo de segurança, tens alguns minutos para matar:

  • Passeia um pouco pelas lojas do aeroporto, incluindo as lojas duty free (encontram-se lá bons preços acreditem);
  • Compra algo para ler no avião;
  • Vai com tempo para a zona de embarque.
Durante o voo 

Ainda vamos receber aqui comentários a dizer que viajar foi o melhor que já fizeram e agora não querem outra coisa.

Sim! Há algumas situações durante o voo que podem causar algum receio mas lembra-te: PRAIAS PARADISÍACAS, MOJITOS E COMPRAS!! PRAIAS PARADISÍACAS, MOJITOS E COMPRAS!! PRAIAS PARADISÍACAS, MOJITOS E COMPRAS!! 😂

Ficam aqui algumas sugestões de como passar o tempo dentro do avião para te distraíres e também algumas dicas para uma boa “estadia” no avião:

  • Primeiro de tudo: se começarem a surgir pensamentos negativos, interrompe essa corrente de raciocínio;
  • Lembras-te daquela playlist preparada para te acalmar? Sim, essa mesmo! Ouvir musica, de preferencia calma, ajuda a estar mais relaxado durante uma situação causadora de maior stresse;
  • Jogar! Candy crush, cartas, sudoku, palavras cruzadas, contar carneirinhos… Basicamente, o que quiseres! Existem muitos jogos que podes jogar offline e podes ter no telemóvel ou tablet, já que os dispositivos têm que estar em modo avião. O objetivo é estares distraído o suficiente para não pensar que aquele pedaço de lata vai cair. Pardon my French!;
  • Se te sentires bem, conversa com as pessoas à tua volta e troquem experiências de voos;
  • Dormir? Lembras-te de todas as vezes que no último meio ano disseste para ti mesmo: “Fogo! só queria duas horinhas para dormir a meio do dia?” Tsharan!! Nem é tarde nem é cedo. É agora mesmo!;
  • Diz para ti mesmo frases e instruções positivas, como por exemplo: “Não vai acontecer nada!” “Vai correr tudo bem!” “Todos os dias milhões de pessoas andam de avião e chegam a casa sãs e salvas!”;
  • Tenta não te sentar no lugar da janela. Se ficares no centro tens mais possibilidades de caminhar pelo corredor do avião e assim não tens tendência a olhar pela janela;
  • Para te sentires mais seguro podes informar um dos membros da tripulação. Assim, vão estar atentos a ti e estarão preparados para lidar com passageiros que têm medo de voar e, caso te assustes com algo, procura questionar os assistentes de bordo e tenho a certeza que irão explicar o que se passou;
  • Respira fundo, conta até 10, 100, 1000, em caso de turbulência. Lembra-te: a turbulência faz parte do voo (se quiseres sentir menos turbulência, podes pedir ou escolher o lugar entre as asas do avião porque são os lugares mais estáveis ou onde se sente menos o avião a tremer);
  • Com esta até eu “paniquei” e quase me dava o “fanico” na minha primeira viagem de avião. Mas é comum que as asas do avião abanem e que o trabalho do motor seja menor em alguns momentos, por isso: PRAIAS PARADISÍACAS, MOJITOS E COMPRAS!! PRAIAS PARADISÍACAS, MOJITOS E COMPRAS!!
  • Se vires que a ansiedade estar a ser muito difícil de controlar e já sentes que a tua respiração está irregular podes tentar fazer alguns exercícios de relaxamento físico, como por exemplo:
    • Apertar as mãos durante 10 segundos com muita força e depois largar (3 repetições);
    • Esticar as pernas como se estivesses a empurrá-las contra alguma coisa durante 10 segundos (três repetições)
    • Contrair o abdómen durante 10 segundos e relaxar (3 repetições)

Espero que estas dicas te ajudem a conhecer o mundo sem receio de que alguma coisa vá acontecer durante a viagem ou medo de entrar no avião. SIM! Vai correr tudo bem, já fiz quase 20 viagens de avião e nem um arranhão. Desejo-vos ótimas viagens. Vão!! Conheçam o mundo! É do melhor!! 😁

Girona, pitoresca e medieval

Longe da azáfama de Barcelona, algures no nordeste da Catalunha, situa-se uma pequena cápsula do tempo chamada Girona. Esta cidade, tornada ilustre pela série de televisão Game of Thrones, transporta-nos para o tempo dos reis e princesas e em simultâneo nos lembra de Florença, com as casinhas coloridas penduradas sobre o rio Onyar.

Apesar de possuir um aeroporto a pouco menos de 10 quilómetros, que eu tenha conhecimento, nenhuma companhia aérea faz ligação direta a Portugal. Sendo assim, decidimos aproveitar a ocasião de visitar Barcelona para alugar um carro e partir numa road trip à descoberta do norte da Catalunha. Bastou uma breve pesquisa para adicionar Besalú e Aiguablava à lista de paragens obrigatórias.

Como qualquer cidade espanhola que se preze, também Girona possui várias ruas e praças de acesso pedonal, com uma grande oferta de lojas e restaurantes a preencher as galerias circundantes. A noite é igualmente agitada e não faltam pequenos bares nas ruas calcetadas por pedras centenárias, e acreditem quando digo que me diverti bem mais do que em Barcelona, por bem menos!

O marco mais icónico da cidade é a catedral e se puxarmos pela imaginação conseguimos ainda vislumbrar Cersei Lannister a descer nua pela escadaria, com sinos a tilintar no meio dos insultos do povo. A construção do edifício iniciou-se no século XI e prolongou-se por várias centenas de anos, o que resultou numa mistura de estilos arquitectónicos, desde o românico ao barroco, passando também pelo gótico.

A magia exacerba-se na Páscoa, altura em que à semelhança do que acontece um pouco por toda Espanha, ocorrem procissões que recriam a crucificação de Cristo, com direito a soldados romanos e uns militantes um quanto macabros com chapéus pontiagudos.

Toda a arquitetura é bastante apelativa e vale a pena explorar, a cada esquina, encontramos um cenário retirado de uma pintura medieval e é prudente andar sempre de câmara na mão. Na foto acima vemos a escadaria do convento de Sant Martí Sacosta.

Também as pontes sobre o rio proporcionam perspectivas interessantes para o casario pitoresco e vale a pena uma visita aos banhos árabes e a todo o quarteirão judeu, com as suas ruas apertadas apetrechadas de lojas de lembranças.

O centro histórico da cidade encontra-se, em grande parte, cercado por uma muralha que data do século XIV, possui jardins escondidos e várias torres que oferecem vistas incríveis sobre King’s Landing (err, desculpem!), Girona, tornando-se inevitável que a música do genérico da série da HBO nos ecoe no cérebro.

Atenas, o berço do Ocidente

Desde as suas profundas raízes históricas às praias de água quente e turquesa da riviera ateniense, a mítica capital da Grécia surge como uma cidade europeia incontornável, que oferece uma cultura incrível aliada a uma apurada gastronomia mediterrânea.

Apesar de apenas existirem voos diretos de Portugal para Atenas a partir de Lisboa, este destino vale bem a pena qualquer escala. A faixa de preços para reservas na janela ideal situa-se entre 150€ e os 250€, ida e volta.

Quando aterrei no aeroporto internacional de Elefthérios Venizélos em 2014, a minha melhor opção para chegar à Praça Syntagma, no centro da cidade, era o autocarro X95. Atualmente, o mesmo percurso pode ser feito através da ligação direta do metro, cujo tarifário pode ser consultado aqui. O sistema de bilhética foi também atualizado e funciona de forma semelhante ao cartão Lisboa VIVA e ao andante do Porto.

Quanto a alojamentos, recomendo que cliques aqui para visitar a página do Booking para encontrares o alojamento adequado às tuas necessidades.

  • Locais a não perder

O icónico Pártenon coroa a Acrópole, o ex-libris da cidade, é um templo dedicado a Atena, a deusa padroeira, e é considerado o pináculo da arquitectura grega clássica. Cada elemento que o compõe é único e criado para produzir a perfeição geométrica da perspetiva do observador. Apesar de ter sofrido bastante com a história da cidade, a sua morfologia atual confere-lhe um misticismo assombroso. É um símbolo da Humanidade e cada um de nós deveria ter a oportunidade de o visitar pelo menos uma vez na vida.

Ao lado do Pártenon surge a famosa casa das Cariátides, ou como é conhecido oficialmente, o Erecteion, mais um templo dedicado a Atena e a Poseidon. Segundo a Wikipédia, no seu interior vivia uma serpente, para a qual se oferecia um bolo sagrado cuja recusa era tomada como sinal de mau agouro para os atenienses.

Escavado na vertente sul da Acrópole, o Odeão de Herodes Atíco é um teatro cuja imponência é avassaladora. Antigamente era, na verdade, coberto e poderia receber cerca de 5000 espectadores. Esporadicamente, ainda hoje é palco de alguns eventos culturais.

Na antiguidade clássica, o Areopagus servia de local de arbitragem de casos de justiça e de discussão e reflexão de vários assuntos como educação, ciência e filosofia. Para além disso, a partir desta colina obtêm-se vistas magníficas da Acrópole e da Ágora Antiga.

Na Ágora Antiga, localiza-se o Tempo de Hefesto. Este monumento é considerado o mais bem preservado templo grego do mundo. Dedicado a Hefesto, deus grego do fogo, dos metais e da metalurgia, este templo conversa todas as suas colunas e grande parte do tecto.

Ainda na ágora, é possível também visitar a Stoa de Átalo, um local de comércio e cultura, que oferecia protecção das intempéries e do calor abrasador aos seus utilizadores. O exemplar atual trata-se uma reconstrução que reproduz fielmente a estrutura original.

A área de Monastiraki, localizada no centro histórico, é um dos principais pontos da cidade e nela convergem vários locais de comércio tradicional, de culto e até mesmo de arqueologia, como a Biblioteca de Adriano que lhe é vizinha.

O bairro de Plaka é a área mais tradicional da cidade e conserva em si o verdadeiro espírito helénico. Perder-se por entre as suas ruas, decoradas com vegetação, munidas de elegantes edifícios e espaços de restauração é um “must” para quem visita a cidade.

O Museu da Acrópole é um prodígio da arquitectura! O chão de vidro permite vislumbrar as ruínas sobre as quais foi construído e vários elementos da sua configuração foram criados para simular a ascensão da antiga rampa da acrópole, assim como a sala do Pártenon contém o mesmo número de colunas do monumento. Esta é também a nova casa de 5 das 6 Cariátides originais.

Na região litoral sul da cidade, forma-se um conjunto de praias, na sua maioria concessionadas, que prometem ser o refúgio da azáfama do centro de Atenas e satisfazer as necessidades de qualquer turista amante de praia. A água cristalina e quente da Riviera Ateniense, combinada com paz, tranquilidade e um serviço de praia ao melhor nível fazem todos os problemas desaparecer.

Recomendo as praias da região de Voula e Vouliagmeni. Para chegar até lá é necessário apanhar um elétrico na praça Syntagma com um percurso de uma hora até à estação terminal mas acredita, vale a pena todo o esforço! Os preços praticados variam de acordo com a época do ano e é consideravelmente mais barato durante a semana.

Inspirando-se na mitologia grega, a arquitetura da reitoria da Universidade de Atenas demonstra o potencial do design clássico em embelezar edifícios contemporâneos e funcionais. Uma verdadeira obra de arte! Nesta zona é também possível encontrar o Museu Nacional de Arqueologia, com um espólio desde os primórdios da civilização helénica.

Na conhecida Praça Syntagma situa-se o Parlamento Helénico. O edifício apalaçado e a sepultura do Soldado Desconhecido são guardados sob uma guarda tradicionalmente vestida que efetua a parada da Troca da Guarda a cada hora com movimentos bastantes peculiares.

A estrutura original remonta a 566 a.c. e as suas ruínas foram restauradas para alojarem os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna em 1896. Desde então, o Estádio Panatenáico foi utilizado em diversos eventos, incluindo na competição de tiro com arco nos Jogos Olímpicos de 2004, que também decorreram na cidade. No seu interior alberga ainda um memorial dos Jogos Olímpicos, onde é possível observar exemplares das tochas olímpicas ao longo dos anos, incluindo o altar onde é acesa a primeira tocha de cada edição.

Na Grécia antiga, Zeus era o rei dos deuses do Olimpo e este templo, construído em sua honra, foi um dos maiores e mais famosos do mundo. No seu interior, possuía uma enorme estátua de ouro e marfim do deus dos raios e do trovão. Ao longo da História sofreu pilhagens frequentes e hoje restam apenas algumas colunas. De lá, é possível obter uma vista deslumbrante para a Acrópole.

Para além de Atenas ser um destino de sonho para muitas pessoas, o custo de vida não é alto, o que nos permite fazer umas férias dentro do orçamento! É também importante referir que as principais atrações turísticas têm entrada gratuita para estudantes da União Europeia mediante apresentação de um cartão de estudante válido, assim como o sistema de transportes da cidade oferece descontos até 50% sobre a tarifa normal.

Para descobrires mais sobre esta cidade e sobre a forma como marcou a minha experiência de viagem ao aventurar-me sozinho, clica aqui.

Transportes em Budapeste

A capital húngara possui um sofisticado e diverso sistema de transportes, desde o clássico metro aos característicos trolleys e ferry boats.

  • Do aeroporto

A melhor forma de se chegar ao centro da cidade é apanhando o autocarro 100E, que nos leva diretamente até Deák tér ou Kelvin tér. O trajeto requer um bilhete especial que tem um custo de 900 HUF (florins, a moeda local), o que equivale a cerca de 3 EUR, e funciona diariamente das 5h00 às 23h30.

Alternativamente, existe também o autocarro 200E cujo trajeto até ao centro requer transbordo na estação de metro de Kőbánya-Kispest ou no terminal de Pest Sul para o autocarro 950. Esta opção tem as suas vantagens uma vez que também opera no período nocturno e pertence à rede de transporte público da cidade, sendo que um passe de transporte para vários dias pode aqui ser utilizado.

Os bilhetes podem ser adquiridos nos quiosques de informação da BKK e máquinas de venda automática.

  • Pela cidade

Existem várias modalidades que se podem utilizar na rede de transportes públicos, bastante versáteis e ajustáveis às necessidades de cada um. Desde o bilhete de utilização única, que tem um custo de 350 HUF (pouco mais de 1 EUR), aos blocos de 10 bilhetes por 3000 HUF, terminando nos passes de 1, 3 e 7 dias, com custos que variam entre os 1650 HUF e os 4150 HUF.

Dependendo do número de dias que se pretende permanecer em Budapeste e na frequência de utilização de transportes, muito provavelmente a melhor opção será a dos passes para vários dias. A parte incrível deste sistema é que permite também a utilização do serviço de ferry boats público, nomeadamente o D11 e D12, que proporcionam fabulosas vistas do Danúbio para ambas as margens, desfilando por debaixo das pontes, com direito a bar a bordo, mesas e janelas panorâmicas incluídas!

Podem ser encontradas mais informações acerca dos transportes na cidade e preçário atualizado, no site da BKK.